Curso de FormaçãoI – Nota prévia

A Revista da Sociedade Portuguesa de Grupanálise (SPG) publica, quer on-line, quer em papel, artigos originais ou de revisão e artigos de investigação clínica ou teórica que se inscrevam no contexto dos temas da grupanálise. Publica trabalhos elaborados por membros da SPG, por autores não pertencentes à SPG, por autores convidados estrangeiros, que tenham sido apresentados nos congressos nacionais ou internacionais e que se inscrevam no âmbito dos objectivos da SPG, trabalhos finais de membros da SPG ou dos alunos em formação na SPG e críticas a livros de autores nacionais ou internacionais de relevância para os temas de trabalho e de estudo da SPG.

Qualquer artigo ou trabalho é objecto de parecer de dois revisores, que sem conhecer o nome dos autores do mesmo, darão a sua opinião acerca da relevância do artigo a ser publicado. Em caso de discordância é pedido parecer a um terceiro revisor.

Os artigos a publicar devem ser redigidos em Português e Inglês. Os autores que apresentem os seus trabalhos em Francês, podem publicar nesta mesma língua, mas ser-lhes-á solicitada uma versão em língua inglesa.

Será solicitado a autores cujos trabalhos ou artigos ultrapassem o número máximo de palavras que subdividam o mesmo em dois trabalhos ou artigos mais pequenos ou que reduzam o número de palavras até ao limite máximo.

II – Instruções aos Autores

1 – Página Inicial, incluindo título do trabalho (máximo de 15 palavras), nome dos autores, instituição de trabalho, título de rodapé, endereço e outros contactos e palavras-chave no máximo de 6.

2 – Segunda página, incluindo título do trabalho, palavras-chave no máximo de 6 e resumo. Não deverá incluir o nome dos autores. O resumo não deve ultrapassar as 250 palavras, qualquer que seja o tipo de artigo e deve ser escrito em duas línguas obrigatórias (Português e Inglês).

3 – Páginas seguintes
Artigos longos
Máximo de 8.000 palavras, em formato word, tipo de letra Arial, texto com letra tamanho 12 e títulos com tamanho 18; 1,5 de espaço entre linhas; texto editado nas duas línguas obrigatórias (Português e Inglês).
O título e o resumo devem focar a proposta de objectivo(s) do artigo.
Podem ser incluídas tabelas ou gráficos ilustrativos do texto, num número limitado a dois. Não devem ser utilizadas cores, mas antes padrões a preto e branco.
No caso de ser um artigo que inclui trabalho estatístico, o tipo de análise estatística deve vir referenciada.
O texto deve estar paginado.

4 – Artigos de opinião e Letters
Máximo de 2.500 palavras, em formato word, tipo de letra Arial, texto com letra tamanho 12 e títulos com tamanho 18; 1,5 de espaço entre linhas; texto editado nas duas línguas obrigatórias (Português e Inglês).
O texto deve estar paginado.

5 – Críticas a artigos ou respostas a críticas
Máximo de 1.500 palavras, em formato word, tipo de letra Arial, texto com letra tamanho 12 e títulos com tamanho 18; 1,5 de espaço entre linhas; texto editado nas duas línguas obrigatórias (Português e Inglês).
O texto deve estar paginado.

6 – Os diagramas lineares, assim como as fotografias, deverão ser submetidos como ficheiros TIFF.
As tabelas devem ser fornecidas como ficheiros em word ou em excel.

7 – É da total responsabilidade do autor a obtenção das permissões para o uso de qualquer material sob direitos de autor (copyright).

8 – Os autores devem evitar comentários que possam ser prejudiciais a terceiros ou que possam levantar problemas de confidencialidade profissional ou pessoal.

9 – As notas essenciais deverão ser colectadas no final de cada página em rodapé.

10 – No texto, as referências à bibliografia devem ser escritas da seguinte forma
(Gama, 2003); (Gama e Albuquerque, 2006).
Se existirem trabalhos referenciados do(s) mesmo(s) autor(es) com o mesmo ano de publicação estes devem ser distinguidos por ordem alfabética (a,b,c,…) (Gama, 2001a, 2001b).

11 – Nas citações extensas, estas devem ser mencionadas nas páginas do texto.

12 – Todas as referências citadas devem ser listadas por ordem alfabética no final do artigo, na bibliografia/referências bibliográficas, do seguinte modo:

Artigo em revista ou jornal
Autor (ano de publicação). Título, revista ou jornal, número, páginas.
Exemplo: Dinis C (2000). Desejo e Contratransferência, Revista Portuguesa de Grupanálise, 1, pp. 51-58.

Livros
Autor (ano de elaboração). Título, volume, local de edição, editora, ano de publicação.
Exemplo: Cortesão EL (1979). Grupanálise: Teoria e Técnic,. Lisboa, Ed. Calouste Gulbenkian, 1980.

Capítulos de livros outras contribuições
Autor (ano de edição). Título, jornal, editor, nome do livro ou da publicação, paginação, localidade da edição.
Exemplo: Gama V (2006). A Televisão na Terapia de Grupo, na revista (ed.) Calouste Gulbenkian, in Desenvolvimentos e Progressos na Terapia Familiar e de Grupo, pp. 24-45, Lisboa.

Comunicações orais ou trabalhos não publicados
Nome (ano). Título, Congresso/Encontro/Dissertação de mestrado ou doutoramento, instituição cidade, país.
Exemplo: Salgado F e Silva PintoT (2005). Religião e Grupanálise, VIII Encontro Luso-Brasileiro de Grupanálise e Psicoterapia Analítica de Grupo. VII Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Grupanálise, Lisboa.

13 – As referências não citadas no artigo serão apagadas na maioria dos casos.

14 – Caso o artigo seja aceite para publicação, não poderá ser publicado noutras revistas, sem autorização prévia da Comissão Edictorial da revista da SPG, implicando sempre a referência expressa a tal autorização.

15 – Os artigos deverão ser enviados para o seguinte endereço electrónico: spg.pag@grupanalise.pt