GrupanáliseComo forma de auto-conhecimento e tratamento, a Grupanálise tem sido largamente aplicada na abordagem do sofrimento psíquico e das doenças mentais na clínica privada, em meio hospitalar (ambulatório, internamento, hospitais e centros de Dia) incluindo hospitais prisionais. Pretende-se utilizar os grupos, as interações e relações grupais para a compreensão do modo como se processam o funcionamento mental e os padrões relacionais de cada elemento do grupo com o seu meio familiar, profissional e social em geral. Tem sido também aplicada no diagnóstico e tratamento das interacções e relações familiares, no ensino e processos de aprendizagem (grupos de reflexão e discussão) e na resolução de conflitos e disfuncionalidades em equipas e instituições (coaching grupanalítico).

O grupo funciona como um microcosmos observável em que os processos não conscientes, parcialmente responsáveis pelo sofrimento mental, surgem espontaneamente podendo ser analisados, elaborados, compreendidos e, eventualmente transformados, se considerados como patológicos, disfuncionais ou causadores de sofrimento.

O grupanalista, condutor do grupo está treinado para esta observação e para a sua tradução de forma considerada como adequada e suportável por cada membro do grupo. O grupo conduzido desta forma proporciona o desenvolvimento da capacidade e liberdade de pensar, com potencial transformador.

A Grupanálise tem sido também aplicada ao ensino com grandes vantagens em termos do enriquecimento do processo de aprendizagem dada a potenciação rápida do confronto de várias perspectivas, propiciando novos enfoques, gerando uma aprendizagem mediada pela estimulação da liberdade de expressão e partilha de duvidas e reflexões.

Tem sido também, cada vez mais, aplicada às instituições como forma de diagnosticar conflitos e problemas, melhorando o funcionamento das equipas e das instituições globalmente. É a aplicação dos conceito grupanalíticos ao coaching.

Sintetizando, podemos dizer que Grupanálise é um método de utilizar os grupos – pequenos, médios e grandes para a compreensão do funcionamento individual, do impacto dos grupos sobre o indivíduo, e de cada indivíduo sobre os grupos em que se insere estimulando a capacidade e liberdade de pensamento e a autonomia.

Tem, pois, potencialidades de estimulação da aprendizagem e de transformação pessoal. Aprende-se a tão difícil atitude de estar em e respeitar o grupo sem perder a individualidade.